Tem de Tudo!

CIRCULANDO PELA REGIÃO!

Faculdade de Holambra terá formação voltada para os agronegócios

a afaculholmbra

A Faculdade das Flores será a Faculdade do Agronegócio de Holambra (FAAGROH): a mudança do nome, conforme explicação do professor Geraldo Eysink, diretor da futura Instituição de ensino prova que o estabelecimento “terá uma amplitude que vai além das flores”. 

Holambra é um polo do agronegócio no Brasil, especialmente quando falamos de flores e sementes, além de ser um gerador de alta tecnologia. O nome a ser utilizado, portanto, é bem mais abrangente e será Faculdade do Agronegócio de Holambra”, informou, ao adiantar que ainda está em estudo se as aulas começarão em abril ou agosto. A FAAGROH deve começar com o curso Agronegócio, com ênfase em culturas intensivas, que terá dois anos e meio de duração, o que o caracteriza como tecnólogo.

Para definir a grade curricular, pontuou Eysink, foram consultados vários especialistas e empresários de Holambra, Campinas e até da Espanha, para que corresponda às exigências do mercado. Serão 10 disciplinas por semestre e as aulas noturnas, pelo menos no começo. Serão arregimentados profissionais que entendam a proposta da Faculdade e que terão de abraçar a filosofia de uma Instituição que se propõe a ser 100% prática.

Jaguariúna faz parceria com Ministério para coleta de resíduos eletroeletrônicos

a ajguariuna reciclagem

A Prefeitura de Jaguariúna, por meio do Departamento de Agropecuária e Meio Ambiente, acaba de fechar uma parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação para iniciar a coleta de resíduos eletroeletrônicos na cidade, por meio da COOPERJ – Cooperativa de Trabalho dos Catadores de Materiais Recicláveis de Jaguariúna, que já faz o trabalho de coleta seletiva de materiais como papel, plástico, vidro e alumínio. Essa parceria visa o diagnóstico, capacitação e implantação de local na COOPERJ para viabilizar a reciclagem de resíduos eletroeletrônicos, aumentando a renda da Cooperativa, e tirar esse tipo de resíduo de locais inapropriados na cidade. “Atualmente o município de Jaguariúna não possui um local de recebimento ambientalmente adequado destes resíduos. Com esta parceria a população será diretamente beneficiada”, explica a chefe de Divisão de Reciclagem, Aline Granghelli Catão. Segundo ela, além de proporcionar mais qualidade para o meio ambiente e aumentar a renda dos cooperados, a parceria não vai gerar gasto para os cofres públicos nem para a COOPERJ. “A parceria será 90% subsidiada pelo Ministério da Ciência, e 10% pela da Empresa Flextronics, outra parceira nossa, ou seja, tanto a COOPERJ quanto a Prefeitura não terão gastos financeiros”, afirma Aline. (Fonte: Prefeitura e Jaguariúna)

DE OLHO NA CIDADE!

Comércio já expõe com maior intensidade produtos da Semana Santa e da Páscoa

a avos de pascoa

Nem bem passou o Carnaval e o comércio já pensa na Páscoa. Em alguns supermercados de Pedreira os famosos corredores de ovos de chocolate já estão ganhando espaço, apesar da sensação de que é cedo para se falar na data. Ainda assim, o setor está cauteloso com as vendas neste ano. Pesquisa feita por especialistas revela que 45% dos lojistas vão manter o mesmo volume de encomendas de 2016, 18% diminuirão o volume e apenas 27% afirmam que vão comprar mais, acreditando em crescimento.
No ano passado a Páscoa já não foi muito boa. A própria indústria fabricante de chocolates reduziu o mix de produtos para este ano. Outro fator somado ao ambiente de recessão: o consumidor está mais atento aos preços muitas vezes abusivos cobrados em ovos, mais caros do que barras e tabletes do mesmo peso, por exemplo.

Outros produtos que já vêm ganhando mais espaços nas gôndolas e nas geladeiras são o bacalhau e os peixes, consumidos bastante durante a quaresma e principalmente, na Sexta-Feira Santa.

DE ORELHA EM PÉ!

TCE alerta prefeitos sobre decretos de ‘calamidade financeira’

a atce

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo emitiu um alerta sobre os riscos assumidos por Prefeituras Municipais quando da edição de decretos, sob o argumento de calamidade financeira, para suspender temporariamente pagamentos de despesas do exercício de 2016 e anteriores. Diz o documento, assinado pelo secretário-Diretor Geral, Sérgio Ciquera Rossi, que “a utilização desses instrumentos não encontra amparo no artigo 65, da Lei de Responsabilidade Fiscal e viola inúmeras regras do direito financeiro dentre outras, a quitação de Restos a Pagar e a ordem cronológica de pagamentos, o que poderá trazer implicações no exame de contas anuais”. Com problemas de caixa em razão da recessão, Prefeituras paulistas estão decretando estado de calamidade financeira. Só em 2017, dez municípios já utilizaram o instrumento, de acordo com o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. São José da Bela Vista, Angatuba, Catanduva, Ferraz de Vasconcelos, Hortolândia, Iracemápolis, Jaguariúna, Palmital, Pedregulho e Pirassununga.

O decreto, porém, não tem respaldo legal, diz o presidente do TCE, Sidney Beraldo (foto). O Tribunal emitiu um comunicado alertando as Prefeituras “sobre os riscos assumidos” ao editar decretos “para suspender temporariamente pagamentos de despesas”. “Dado que nós realmente tivemos em 2015 e 2016 uma queda de receita nos municípios, eles tiveram uma depressão na previsão arrecadatória, e isso gerou dificuldades. Então a preocupação é que, com base nessas dificuldades, eles possam tomar decisões e providências que vão gerar problemas legais no futuro”, diz Beraldo.

O temor do Órgão é que prefeitos estejam valendo-se do argumento de calamidade financeira para descumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, como deixar de pagar dívidas herdadas de gestões anteriores e fazer compras sem licitação. Caso as Prefeituras descumpram a Lei de Responsabilidade Fiscal, o Tribunal pode emitir um parecer desfavorável às contas da cidade. A decisão final, contudo, é das Câmaras Municipais. Se as contas forem reprovadas, o prefeito pode ser acusado de crime de responsabilidade e, se condenado, ficar inelegível. (Fonte TCESP)

CONVERSANDO A GENTE SE ENTENDE!

Amparo monitora automaticamente o nível do Rio Camanducaia

a amonitoramento amparo

A Defesa Civil de Amparo já tem toda a área da cidade coberta com medidores de níveis de chuvas, o que ajuda a monitorar o volume de água que cai na cidade e melhorar o trabalho de prevenção de deslizamentos de terra nas mais de dez áreas de risco que a cidade possui. Na terça-feira (7/março), a Defesa Civil realizou a instalação de um equipamento que mede o volume de água do rio Camanducaia, esses registros são enviados também ao PCJ e órgãos ligados à Defesa Civil Estadual, em tempo real. O equipamento está instalado na ponte da Avenida Carlos Burgos no Jd. Camanducaia e funcionará através de energia solar. O custo desse equipamento é de R$ 15 mil e foi adquirido através do CEMADEN, sem custos ao Município. Desde o ano de 2013, por determinação do prefeito Jacob, a Defesa Civil, através de convênio, adquiriu quatro pluviômetros semiautomáticos, posteriormente, outros três, somando um investimento de R$ 50 mil na área de prevenção. Outra medida importante para o Órgão foi sua transferência da Secretaria de Governo e Planejamento, para o Gabinete do Prefeito, o que possibilitou um respaldo e atenção maior por parte do próprio governo. (Fonte Portal R1)

SAIBA QUE…!

a anotas&lembretes

Abril é um mês com muitas datas importantes para serem lembradas e festejadas em Pedreira. Aniversário de instalação do SRTV, criação do Jornal da Comarca e surgimento da Orquestra de Violeiros de Pedreira.

PROVOCAÇÃO DO DIA!

Aceitar as pessoas como elas são não nos obriga a conviver com elas

a aprovoque

Por:  Marcel Camargo –“Escrever é como compartilhar olhares, tão vital quanto respirar”. É colunista da CONTI outra desde outubro de 2015.
 É preciso tolerar e aceitar as pessoas como elas são, porém, conservando-nos o direito de nos afastar cordialmente de quem não nos agrada.

A tolerância é uma necessidade urgente neste mundo violento de hoje, em que uma simples discussão no trânsito pode chegar a provocar mortes. A intolerância é a mãe do preconceito, da exclusão, do racismo, de tudo, enfim, que segrega, separa e agride o que não se aceita, o que não se acha normal, o que incomoda sem nem haver razão. Sim, é preciso tolerar e aceitar as pessoas como elas são, porém, conservando-nos o direito de nos afastar cordialmente de quem não nos agrada.

Podemos entender que o outro tem a própria maneira de pensar, que sua história de vida é peculiar e suas bagagens podem ser totalmente diferentes das nossas. Podemos compreender que as verdades alheias, por mais que nos soem ilógicas e absurdas, são do outro tão somente e não necessariamente nossas. Desde que não nos firam, as escolhas do outro não nos dizem respeito. Desde que o outro esteja feliz, sem pisar ninguém, não temos como tentar intervir em estilos de vida que não são nossos.

Devemos saber discordar sem ofender, sem tentar impor o que pensamos como verdade absoluta – isso é arrogância burra. Necessitamos ouvir o que o outro tem a dizer, por mais que não enxerguemos ali razão alguma, mesmo que o que disserem ou fizerem seja exatamente o contrário de tudo o que temos como certo. Desde que não nos ofendam, nem ultrapassem os limites de nossa dignidade pessoal, os outros terão o direito de viver o que bem quiserem.

Por força maior, como o emprego ou a família, inevitavelmente estaremos sujeitos à obrigação de conviver ao lado de pessoas com quem não simpatizamos ou cujas idéias não se afinem minimamente com as nossas. No entanto, sempre poderemos escolher quem ficará ao nosso lado nos momentos mais preciosos de nossa jornada, enquanto construímos nossa história de vida, de luta e de amor.

Da mesma forma, conseguiremos nos desviar de quem nos desagrada, afastando-nos das pessoas que nada nos acrescentam, sem precisar criticá-las ou brigar com elas. Sim, podemos – e devemos – aceitar as pessoas como elas são, pois isso é o mínimo que se requer, em se tratando de sociedade, porém, não seremos obrigados a conviver além do necessário, além do suportável, além do adequado, com gente que enche a paciência e nos irrita. Isso seria masoquismo. (Extraído de http://www.contioutra.com)

GENTE QUE ACOMPANHA O PEDREIRA AGORA!

a agente que acompanha PAG

Sabe quem espia e confere o Pedreira Agora todos os dias: Casé Oliveira, Júlio Antônio Silva, Francisco Stranieri. O Pedreira Agora agradece a audiência. Mas espalhem para os amigos…

ARREMATANDO!

a apatruplantao

E verificando as estatísticas do blog, deu prá perceber que tem vários observadores do mal, entrando a cada meia hora, para verificarem o que está sendo comentando ou noticiado. “A patrulha dos radicais adora rotular os outros sem embasamento, sem o conhecimento real de como as pessoas pensam e isso é uma profunda falta de educação mas, sobretudo, desapreço pela democracia que conquistamos a duras penas”.( Diego Casagrande – jornalista) Patrulheiros virtuais de plantão! Procurem enxergar a grandeza das coisas como elas são. Sem deturpações e sem comparações idiotas como se vocês realmente fossem mais que todos neste planeta! Vocês que pensam, agem e vivem apenas para promover o mal, que tal fazer algo de bom para a Cidade!

Por Hoje, é o que há. Até a próxima!

 

Anúncios